Sunday, December 23, 2007

O que está submerso

.
A Ana tinha 15 anos e saíu com o irmão para tomar um café. Sentada no lugar de passageiro, dentro do carro parado à beira da estrada, ficou literalmente encarcerada dentro da viatura quando um outro carro conduzido por um idoso se despistou e embateu violentamente contra o carro onde se encontravam ela e o irmão. A autópsia não foi coisa bonita de se ver. A Ana esvaíu-se em sangue, não há forma bonita de o dizer: hemorragias cerebrais, pleurais, peritoneais, pericárdicas, laceração do baço e destruição do fígado. O irmão fracturou o braço e encontra-se internado em estado de choque, sem ter ainda conhecimento da morte da irmã.
É importante lembrar que a Ana não vai entrar na contagem do número de mortos nas estradas deste ano. Isto porque tais estatísticas dizem respeito apenas às pessoas que morrem no local do acidente. Quem escapa vivo ao local da catástrofe e morre na ambulância a caminho do hospital ou já no próprio hospital não constitui elemento de contagem. A Ana chegou às Urgências às 18:36 e morreu ás 19:17, logo, não vai figurar na lista de morte na estrada por acidente de viação desta época de Natal. Portanto, quando olhamos para os números que vêm nas estatísticas, estamos a ver, apenas, a ponta do iceberg.
.

6 comments:

curse of millhaven said...

...só me apetece dizer



foda-se.... :(

Happy and Bleeding said...

este post 'fazia falta' à blogosfera. e ganha ainda mais acutilância nesta altura.

Maria del Sol said...

Fez-se-me um nó no estômago. Espero que quem vá para a estrada leia o teu post primeiro :S

Paulo Koallupi said...

Brutal! Valeu a pena este post!

Paulo Koallupi said...

Brutal! Valeu a pena este post!

franksy! said...

que horror...