Thursday, August 16, 2007

Incineration



Nunca me considerei grande fã de Sonic Youth. E isto fazia confusão a muita gente (apreciadora ou não da banda), que achava estranho que, sendo eu jovem que cresceu ao som do indie-rock dos anos 90, não tivesse nos Sonic Youth uma referência musical. Talvez se prenda com o facto de ter passado a década de 90 embrulhada na sonoridade dos anos 80. Mas vai daí, a carreira dos Sonic Youth remonta aos anos 70. Lá se vai a minha desculpa.
O concerto da banda, ontem, pouco me serviu de tira-teimas. Tratou-se, provavelmente, do melhor concerto do festival. Só o frio intenso que se fazia sentir me podia desviar (ligeiramente) a atenção do palco. No final, senti uma estranha alegria em ter assistido a um concerto da mítica banda de Nova Iorque. Não fiquei fã acérrima. Não comprei nenhuma t-shirt com máquinas de lavar. Mas fiquei a gostar muito de Sonic Youth. Antes tarde que nunca.

3 comments:

Carlos Moreira said...

Estava no mesmo ponto que tu. Nunca fui grande fã dos Sonic Youth, nunca me prenderam, mas estava sempre rodeado de amigos que adoravam a banda de Nova Iorque.. Alguns deles não tiveram oportunidade de ir a Paredes como eu, e ficaram cheios de inveja: eu ia ver uma das melhores bandas de sempre, diziam. A verdade é que ao contrário do que aconteceu contigo o concerto não me prendeu assim tanto. A banda não é má.. muito pelo contrário.. talvez o problema seja meu :)

O melhor concerto do Festival: Gogol Bordello!!

kat_Jam said...

Pois eu gostei bastante do concerto, apesar do frio. E permite-me discordar do concerto dos Gogol Bordello. Estava um pouco atrás e até me diverti com o concerto. Há muito movimento em palco e os miúdos já estavam a implorar para levantar um pouco de pó. Até aí tudo bem. Mas para mim não bastam os saltos e as piruetas e um senhor de idade a tocar violino para fazer um óptimo concerto. O circo veio à vila, sim senhora ... mas como concerto não me entusiasmou particularmente. A verdade é que, musicalmente, os considero bastante fracos, e o disco, para mim, é quase inaudível. Continuo a achar que, se não fosse a Madonna, poucos saberiam quem eles são. E não acredito que passem de um primeiro disco, sinceramente.
Mas pronto ... o concerto foi bom, sim senhora ... enquanto espectáculo. Mas não creio que cheguem a ter a projecção de uns Arcade Fire à 2 anos atrás. Para o ano não sei se haverá muita gente a se lembrar deles.
Mas é óptimo que existam opiniões diferentes. E diferentes formas de ver o festival. Espero que te tenhas divertido.
Quanto a mim, ainda me doem as costas :)

Carlos said...

Já vão no segundo disco :P
A Madonna e a febre Kusturica veio ajudar sim e até tens razão: o circo não faz tudo, mas ajuda. Não falo da banda, mas do concerto que é efémero. A banda sim, talvez tenhas razão, vai acabar por morrer.
O perfil paredes de coura tem vindo a mudar e eu não... já não me tem dado surpresas como Mogway em 99 ou QOTSA em 2001.. arcade fire e death from above em 2005 foram as últimas boas surpresas que Paredes me proporcionou, ainda que tenham passado por lá muitas bandas de qualidade..